Umuarama, domingo, 22 de abril de 2018 ESCOLHA SUA CIDADE

Umuarama

13/04/2018

Casos de conjuntivite registrados em março superam o total de 2017

Casos de conjuntivite registrados  em março superam o total de 2017

O município de Umuarama registrou um aumento significativo nos casos de conjuntivite, em março deste ano, comparado ao mesmo período de 2017 ou até mesmo a todo o ano passado. Somente no último mês, foram atendidas 219 pessoas com diagnóstico de conjuntivite, superando o total de atendimentos (207) de 2017.

Os dados informados são do sistema MV/Consulfarma, uma vez que conjuntivite não está entre as doenças de notificação compulsória (conforme a Portaria 204/2016). “Recebemos uma orientação da Secretaria de Estado da Saúde para notificar ao Sinan (Sistema de Informação de Agravos de Notificação) somente os surtos ou casos inusitados”, explica a enfermeira Andréia Balan, coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde.

Conforme os dados registrados, foram 207 casos ao longo do ano passado e, em 2018, as ocorrências confirmadas somam 478 até a manhã desta quinta-feira, 12 – 64 casos em janeiro, 68 em fevereiro, 219 em março e 127 até o momento, em abril, em Umuarama (sede e distritos). A conjuntivite se caracteriza pela inflamação da conjuntiva (membrana que recobre o globo ocular e a parte interna da pálpebra), causada por agentes tóxicos, alergias, bactérias ou vírus. A forma viral é altamente contagiosa, mais frequente no verão e, apesar de não ser grave, provoca muito incômodo.

Alguns cuidados devem ser tomados para que a conjuntivite não se transforme em epidemia. Ela geralmente compromete os dois olhos, não necessariamente ao mesmo tempo. O contágio ocorre pelo contato direto com o doente ou objetos contaminados, com maior facilidade em ambientes fechados como escolas, creches e ônibus.

Sintomas – Os principais sintomas da conjuntivite são: olhos vermelhos e lacrimejantes; inchaço nas pálpebras; intolerância à luz; visão embaçada; e às vezes, visão borrada. A secreção da conjuntivite viral é mais esbranquiçada, em pequena quantidade e demorando aproximadamente 15 a 20 dias para desaparecer com tratamento adequado. A secreção da conjuntivite bacteriana é mais amarelada e abundante. Demora de 5 a 7 dias para desaparecer com tratamento adequado.

Tratamento – Não existe tratamento específico para conjuntivite viral. Para diminuir os sintomas e o desconforto pode-se utilizar soro fisiológico gelado e compressas sobre as pálpebras, limpar os olhos com frequência, ou ainda usar colírios lubrificantes e lágrimas artificiais.

Prevenção – Algumas medidas podem ser tomadas para se evitar a propagação da conjuntivite viral. Lave as mãos com frequência e não coloque-as nos olhos para evitar a recontaminação; evite coçar os olhos para diminuir a irritação da área. Ao usar colírios ou pomadas, não encoste o frasco no olho e lave as mãos antes e depois do uso. Evite a exposição à agentes irritantes (fumaça) e/ou alérgenos (pólen) que podem causar a conjuntivite.

Não use lentes de contato enquanto estiver com conjuntivite, nem enquanto usar colírios ou pomadas. Não compartilhe lençóis, toalhas, travesseiros e outros objetos de uso pessoal de quem está com conjuntivite; evite piscinas e lagos; não use maquiagem de outras pessoas (nem empreste as suas); e evite compartilhar toalhas de rosto.

É importante o acompanhamento do oftalmologista para um diagnóstico preciso e tratamento adequado. A conjuntivite bacteriana deve, além desses cuidados, ser tratada com colírios e antibióticos prescritos pelo oftalmologista.

 

Curta e compartilhe nossa página no FaceBook.

PUBLICIDADE

Fonte: UMUARAMA | CIDADE PORTAL | ASSESSORIA DE IMPRENSA

OPINE!

CIDADE PORTAL
(44) 3522-7297 | (44) 99979-8991 | (44) 99979-3334
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio
de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Site CIDADE PORTAL.

Desenvolvido por Cidade Portal